Do que é ter 24 anos, um mês e quatorze dias

Ter vinte quatro anos me deixa confuso

É preciso ter vinte e quatro anos para ficar confuso desse jeito

Você sabe onde está e sabe para onde quer ir

Mas será que sabe mesmo?

 

É o que você sabe,

Ou é o quanto de gordura você tem no corpo?

 

Há tantos caminhos!

 

Uma vez alguém me disse e ninguém me disse nada

De onde venho, pra onde vou: do que importa?

E dizem que tem minha vida toda planejada!

A contra-corrente, a dúvida sortuna

Depois de um filme, às duas e meia passadas da madrugada

 

É exatamente porque não é o mais fácil

É exatamente porque não é o mais ousado, mas é ousado

Como diria um engenheiro, seria mais fácil

 

Ter vinte e quatro anos é saber apenas que sua casa deverá ter um grande jardim

Um grande cachorro

E um grande amor

 

o que se quer e o que se precisa nem sempre é a mesma coisa

alguma vez é o que se precisa?

 

Escrever realmente precisa fazer algum sentido,

Ou servirá apenas para aliviar a cabeça para uma meia noite de sono?

As palavras brilham muito no escuro da mente no escuro do quarto,

Não se consegue dormir assim

 

Acontecimentos que despertam você para uma atitude

Uma tomada de decisão

Acordar para o que você já é, para o que você precisa ser e para o que não te leva a lugar algum

 

Pode ser que isso só aconteça durante alguma madrugada, após um filme, quando se tem vinte e quatro anos